Em Novembro, Porto, Coimbra e Lisboa recebem o subtil manifesto das novas músicas de Aline Frazão.

Photos: Fradique

A digressão de apresentação de “Dentro da Chuva”, o quarto álbum de originais de Aline Frazão, chega a Portugal em Novembro, com concertos agendados no dia 9 na Casa da Música, Porto; dia 14 no Convento São Francisco, Coimbra, no âmbito do Misty Fest; e no Teatro São Luiz, em Lisboa, a 29.

A solo, com as suas guitarras e kissanje, Aline Frazão apresenta ao vivo o novo disco composto em Angola e gravado no Rio de Janeiro, cidade de significativas influências e cumplicidades musicais. Uma oportunidade para receber de coração e ouvidos bem abertos, canções que pedem silêncio, em oposição ao ruído quotidiano, e espaço, para ouvir as subtilezas, da música e do mundo.

“Kapiapia”, canção inspirada em alguns parágrafos da história contada pelo escritor, cineasta e antropólogo Ruy Duarte de Carvalho no seu livro “Como se o Mundo Não Tivesse Leste”, é uma das chaves deste trabalho e define a sua identidade: “É mundo e se é mundo / Progride em silêncio / Porque é o silêncio que governa tudo. / Está dentro da chuva.”.

“Dentro da Chuva”, escreve Ondjaki “é um voo rasante pelo futuro; mas revisita matizes que são já marca da autora: a voz que combina com a letra, que se deixa embalar pelas cordas (…) Um belo manifesto, sim, de uma artista atenta que tem sabido deixar-se oscilar entre sensibilidade e convicção. Como convém à música – e ao sonho.”