Composta pela união de vários pontos, a linha é o elemento básico de qualquer forma e representa a expressão mais pura de um desenho. As suas trajetórias, o dinamismo das suas curvas e o seu papel na arte da Antiguidade Clássica são as inspirações essenciais do verão de Luís Onofre, que acrescentou modelos masculinos à sua coleção.

LOOKS 

Para mulher, as sandálias adornadas com tiras de forte expressividade gráfica criam planos e texturas inesperados. A envolver o tornozelo e até a perna, jogam com os contrastes dos espaços vazios, realçando o formato do pé, como acontecia com as sandálias da Grécia Antiga. A coleção masculina – a grande novidade desta estação – reinventa os clássicos para os homens que optam por uma imagem contemporânea e sofisticada. De sola elevada, os ténis apostam na sobriedade dos materiais e tons para garantir uma intemporalidade que também é partilhada pelos modelos Oxford de atacador em pele ou camurça.

CORES 

Para mulher a audácia do verão exige cor e contrastes e os grande tons da estação são: verde, amarelo, azulão, laranja e rosa. Alguns apontamentos em cinza e bronze complementam os tons principais. Já em homem, os tons diluem-se e procuram a claridade do bege, cinza, verde ou azul.

MATERIAIS 

Em mulher os materiais de eleição são a camurça e o cetim mas também surgem inesperados cordões de algodão colorido. Franjas e lantejoulas, aplicadas com a minúcia da azulejaria, decoram alguns modelos. Tal como na Grécia Antiga, que não distingue arte de técnica, também Luís Onofre procura a eterna especialização que lhe permitirá sintetizar a harmonia absoluta entre estética e forma.

Fotografia: Ugo Camera/PortugalFashion