Photos: Paulo Barata

Desde Abril deste ano que Alvalade passou a ter uma porta que vai dar à Ásia. Com um menu com pratos de seis países diferentes, o Soão é sempre uma viagem, em que também se ganham milhas no que diz respeito às bebidas. Para além de cocktails com destilados da Ásia, há sakés, sojus, e um pairing de whisky e chá, para se regressar à realidade ainda mais reconfortado. 

E é sobre este final de refeição improvável que nos derramamos, perdão, debruçamos. Depois de uma degustação repleta de sabores fortes e variados, quer-se um ponto final à altura. Mas whisky e chá não é demasiado improvável? A resposta é não. No Soão há três pairings diferentes. Foram criados por Vasco Martins, head bartender do restaurante, em conjunto com o tea sommelier Sebastian Figueiras, fundador da Companhia Portugueza do Chá.

Após ter eleito dois whiskys japoneses e um taiwanês, perfeitos para o momento pós-refeição, Vasco reuniu-se com Sebastian para encontrar os chás que pudessem fazer parte desta experiência, tal como acontece na China, elevando as principais notas aromáticas de ambas as bebidas. “O momento do pairing é uma cerimónia e por isso leva o seu tempo. Ainda que o cliente se demore no restaurante após terminar a refeição, queremos que quando regressar a casa leve consigo os sabores e os aromas da experiência”, explica Vasco Martins. 

O resultado é surpreendente e atenção: o whisky deve ser bebido sem gelo. O chá é servido a aproximadamente 60º, para não aniquilar o paladar, sempre em louças gaiwan (no caso em taças da Dinastia Ming chinesa), num desafio ao cliente para que, em complemento com o que acontece com os pratos que experimentar, prove bebidas diferentes do habitual.